arrow_drop_down
PERIGOS NO JARDIM

PERIGOS NO JARDIM

PERIGOS NO JARDIM

O Mal pode estar mais perto do que você imagina


Gênesis 3:1-13


INTRODUÇÃO

Perigo é uma condição ou um conjunto de circunstâncias que têm o potencial de causar ou contribuir para uma lesão, perda ou morte.

Constantemente somos expostos a situações de perigo, a riscos de perdas ou prejuízos, inclusive em nossas famílias.

Somos programados para reagirmos aos avisos de perigos. Os sinais são físicos, emocionais e espirituais também (dar exemplos de cada um).


O prudente antevê o perigo e toma precauções; o ingênuo avança às cegas e sofre as consequências.

Provérbios 22:3


É tolice ignorar os sinais de perigo emitidos pelo corpo, pelas pessoas de confiança, pela câmera de ré do carro, não é? E como poderíamos classificar a atitude de ignorar os sinais de perigo emitidos pelo próprio Deus, através da sua Palavra?

Na mensagem de hoje, vamos relembrar que: 1) há uma guerra espiritual, ideológica e social contra a família. O diabo quer destruir e corromper tudo que é criado por Deus e tudo que é amado por Deus; 2) os sinais de perigo são claros e precisam ser considerados com atenção; 3) as armas dessa batalha estão disponíveis e precisam ser acessadas; 4) a guerra não está perdida!

A partir da história da primeira família da humanidade, vamos observar os riscos que eles ignoraram e que os derrubaram e esses perigos continuam mais presentes do que nunca rondando todas as casas até os dias de hoje.


I – É UM PERIGO IGNORAR OU ALTERAR AS PALAVRAS DE DEUS – V1

Toda desobediência começa com uma tentação não resistida. A estratégia do tentador foi de colocar em xeque o caráter e a bondade de Deus? Claro! Mas isso foi feito criando um movimento em torno do que Deus havia dito, colocar em discussão o que já era assunto definido e encerrado.

É um grande erro pensar que a Palavra de Deus está sujeita ao nosso julgamento.

É sedutor tanto desejar diminuir a abrangência das ordens de Deus, reduzindo sua rigidez, criando exceções, interpretando de acordo com seus sentimentos ou com suas circunstancias culturais, etc. É o “tem nada a ver, antigamente que era assim, os tempos mudaram, não é bem assim”

Por outro lado, é um “perigo igualmente perigoso” acrescentar aos desejos de Deus o que ele não manifestou em sua Palavra. Foi exatamente isso que fizeram os religiosos fariseus dos tempos de Jesus, com que ele teve embates severos e acirrados! O ser humano sofre até hoje da tentação de “querer ser igual a Deus” e nisso, começa a disputar com Deus o lugar que é só Dele. É essa a raiz do legalismo e religiosidade. Criam regras, em nome de Deus, das quais o Senhor nem tem conhecimento e passam a exigir das pessoas padrões e comportamentos que a Bíblia não exige, não recomenda e não orienta.

Famílias que ignoram a Palavra de Deus, que desconhecem a Palavra de Deus ou que distorcem a Palavra de Deus estão expostas a riscos muito maiores do que se possa imaginar! Qualquer uma dessas atitudes é disputar autoridade com o próprio Deus.

A família é o primeiro ambiente onde se ensina a temer a Deus, obedecer a Deus, mas, principalmente a se relacionar com o caráter confiável e amoroso de Deus.


II – É UM PERIGO CORROMPER O DIÁLOGO – V4,5

A proposta dessa narrativa bíblica é demonstrar como o homem entrou em rebelião contra Deus e como isso afetou toda a existência humana seguinte, portanto, não precisamos esperar mais detalhes do que o necessário. Mas não é prejudicial ao propósito inicial do texto algumas inferências, e a mais pujante delas é que há uma clara e perigosa corrupção de diálogo no ambiente desse jardim:

  1. Eva conversa com a pessoa errada

  2. Eva e a serpente conversam sobre o tema errado

  3. Adão e Eva não se comunicam com clareza nem antes nem depois da tragédia

  4. Eva toma decisões com base no que ouve fora do seu líder, responsável por sua segurança e cuidado

  5. Adão é anteriormente omisso e sucessivamente justificativo – se explica e transfere responsabilidades e culpa

  6. Eles não conversam sobre soluções (como vamos resolver isso juntos? Me ajuda! Me perdoa! Como eu posso te ajudar? Eu preciso melhorar!)

Na minha pequena experiencia pastoral, tenho percebido uma coisa interessante: a maioria dos problemas dentro das famílias, são causados por uma comunicação deficiente. E a maioria das soluções eficientes passam pela restauração dos diálogos saudáveis e assertivos.

Você precisa aprender a conversar dentro de casa! E conversar direito! E conversar sobre o que realmente importa, não apenas para você, mas para todos os envolvidos naquele ambiente.

Filhos – escutem seus pais sem retrucar. Aprendam a falar o que sentem, o que pensam e o que querem sem gritar, sem xingar. Aprendam a ouvir o que Deus espera e deseja de vocês. Conversem! Levantem a cabeça, tire os olhos do celular pra falar e para ouvir. Converse com seus irmãos sem agredir e acusar. Vocês não são um bando de cães raivosos, vocês são ovelhas!

Pais – considerem os sentimentos de seus filhos. Incluam todos nas decisões. Considere as repercussões de cada decisão sobre todos os membros da família. Não fique agindo com base no “estou fazendo o melhor pra vocês” sem saber deles o que eles pensam ser o melhor. Não imponha seus fracassos. Peça perdão aos seus filhos. Considere o destino profético de cada um deles.

Casais – evitem as decisões baseadas em opiniões de quem não mora no jardim. Serpentes estão opinando todos os dias, prefira ouvir o Conselho de Deus! Deus vai pedir coisas difíceis, atenda! Deus vai dar ordens estranhas, obedeça! Deus vai pedir coisas valiosas, entregue! Não se magoem com acusações desnecessárias. Não se justifique quando for confrontado, seja humilde. Pronto para ouvir, demorado para falar! Não conversem sobre assuntos delicados quando estiverem com fome ou com sono. Não altere a voz! Não deixe de olhar nos olhos. Briguem sempre sentados! Acalmem a ira antes que o sol se ponha, pois ela cria oportunidades para o diabo. (Ef. 4.26,277)


III – É UM PERIGO TER UM PADRÃO APENAS REATIVO – V7

Tente imaginar o que acontece entre o versículo 6 e o versículo 7. Eu preciso fazer uma pausa e abrir um parêntese pra te alertar sobre um outro perigo: o perigo das aparências. Quanto mais você valoriza o que parece ser, menos você se compromete a investir do que realmente é.

Famílias não precisam parecer perfeitas, elas precisar ser saudáveis.

Não viva de acordo com “o que as pessoas vão pensar? O que fulano vai dizer? Como eu vou explicar isso em tal lugar?” Apenas se lembre que no final do dia, o Criador do Universo aparece no jardim para colher explicações. E ele não coloca aparências em sua cesta!

Voltando ao assunto: o casal do Éden só toma uma providencia depois que as coisas desandam, depois que o medo e a vergonha se instalaram em seus corações. E esse tem sido exatamente o padrão de muitas famílias cristãs em nosso tempo: vivem para apagar incêndios.

Nem vou me delongar muito nesse ponto, mas é inacreditável como andamos no “delay” em assuntos tão importantes e vitais.

Não ensinamos nossos filhos sobre papéis do homem e da mulher, sobre a criação literal e depois queremos resolver o problema da ideologia de gênero com seminários de 2 horas.

Não gastamos tempo de qualidade com cônjuges e filhos, depois queremos que a família seja restruturada com os 40 minutos de gabinete com o pastor.

Quanto tempo gasto com discussões para resolver um problema não poderia estar sendo gasto para evitar problemas.

Peça a Deus uma mente preventiva e intencional. Não reativa.

Chegue primeiro! Engane a serpente! Preveja os riscos! Tranque as portas! Tome as atitudes difíceis hoje! Mude as rotas!

O custo da prevenção sempre é menor do que o preço do reparo.

CONCLUSÃO:

A erupção de um vulcão é uma das coisas mais letais e perigosas do mundo. Mas ninguém morre de vulcão. Sabe porquê? Porque o vulcão avisa que vai entornar!

Ouvi o Dr. Roberto Aylmer dizer que não existe infarto de repente. Segundo ele, cada gordura, cada grama de açúcar, cada dia sem atividade física é um ensaio preparatório para o grande dia do infarto.

Assim são as tragédias que acontecem nas famílias e com as famílias.

Cada aviso ignorado, cada pedido de ajuda que não é feito, cada dia que você tenta resolver do seu jeito, cada desobediência, cada dia sem orar, cada vez que a Palavra de Deus é ignorada ou distorcida, cada vez que isso acontece, um passo é dado em direção a saída do jardim.

Encerre o diálogo com a serpente logo! Preste atenção no que está acontecendo em sua volta! 

O fato de Deus aparecer só no final do dia, não significa que ele não pudesse ser acionado antes!

Acredite no que Deus diz sobre sua família. Lute pelo futuro que Deus apontou para sua família!

A batalha não está perdida! Não abra mão de um jardim inteiro por causa de uma árvore, apenas!

Deus quer ajudar você! Nós queremos ser as ferramentas de Deus para ajudar e cuidar da sua família!

Deuteronômio 30:19,20

Qual vai ser a sua escolha hoje?